Lote de frango proibido expõe os riscos aos trabalhadores em frigoríficos

Por Mauro Menezes & Advogados - Assessoria de Imprensa ∙ 03 de maio de 2018

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou recentemente a proibição do lote 0320 de peito de frango cozido, da marca D+ Alimentos, em todo o território nacional. Segundo o órgão, foi detectada a presença da bactéria Listeria monocytogenes, que pode causar doenças como a meningite.

De acordo com a advogada Verônica Irazabal, sócia e integrante do grupo de estudos sobre frigoríficos do escritório Roberto Caldas, Mauro Menezes & Advogados, casos como este expõem os riscos à saúde do consumidor, mas também é necessário debater os riscos aos trabalhadores nos frigoríficos.

“Para além da louvável preocupação com o consumidor final do lote de peito de frango, que contém bactéria causadora de meningite em humanos, é importante que também sejam adotadas medidas para proteger os trabalhadores, tanto os que lidam diretamente com a carne ainda crua, quanto os que participam do abate e da limpeza de vísceras e sangue. Frigoríficos brasileiros que não garantem condições mínimas de saúde e segurança do trabalho expõem seus trabalhadores e consumidores a graves riscos à saúde”, explica a especialista.