Advogada Nathália Monici concede entrevista à TV Justiça sobre a responsabilidade da empresa ao comercializar um contraceptivo ineficaz

Por Mauro Menezes & Advogados - Assessoria de Imprensa ∙ 16 de novembro de 2016

Uma empresa fabricante de contraceptivo foi condenada a pagar indenização de R$ 20 mil a uma mulher que engravidou de gêmeos. O caso foi tema de reportagem exibida na TV Justiça, no dia 25 de outubro, com participação da advogada Nathália Monici, da Unidade Brasília do Roberto Caldas, Mauro Menezes & Advogados.

De acordo com a advogada, neste caso, pode ser aplicada a teoria de risco. “A empresa que está colocando aquele produto no mercado tem que assumir o risco de uma possível falha. Se o método contraceptivo não traz 100% de eficácia e segurança para o consumidor, não é ele que deve assumir o risco, mas sim a empresa”, explica.

Veja a entrevista na íntegra