Arbitragem pode criar conflito à Alvarez & Marsal

Por Mauro Menezes & Advogados - Assessoria de Imprensa ∙ 01 de abril de 2021

Consultoria de Sergio Moro em aparente conflito de interesses

Em entrevista ao Jornal Valor Econômico, o advogado Mauro Menezes, sócio e Diretor-Geral de Mauro Menezes & Advogados, mestre em Direito Público e ex-presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, comenta o caso.

Um parecer do ex-juiz Sergio Moro sobre disputa da Vale com o empresário israelense Benjamin Steinmetz, sócio da companhia BSGR, que firmou joint venture malsucedida com a mineradora brasileira em projeto na Guiné, é alvo de questionamentos. O caso pode configurar conflito de interesses com a consultoria Alvarez & Marsal, empresa que contratou Moro posteriormente como sócio-diretor.

Em entrevista ao Jornal Valor Econômico, o advogado Mauro Menezes, sócio e Diretor-Geral de Mauro Menezes & Advogados, mestre em Direito Público e ex-presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, explica que há uma situação de conflito, já que a Vale é credora da BSGR na recuperação judicial de Guernsey.

“Como a A&M presta serviços à Vale, existe um interesse poderoso de uma das clientes da consultoria em relação à recuperação de créditos de uma empresa que está sob a sua administração. O conflito é da A&M”, afirma.

“O Moro se insere nesta história em uma situação delicada. Já que se pronunciou, por meio de parecer, em conflito que envolve a Vale e a BSGR. As duas são clientes da Alvarez & Marsal, consultoria da qual Moro acabou por se tornar sócio-diretor”, explica Mauro.

“Esse contexto complica mais a consultoria do que o próprio Moro. Mas é preciso conhecer a abrangência da condição de sócio do ex-juiz com a A&M, para que se possa fazer uma análise clara dos fatos”, conclui o advogado.

Confira a matéria do Valor na íntegra (conteúdo exclusivo para assinantes).