Consumidor pode entrar na Justiça e denunciar empresas por carne estragada ou fora da validade

Por Mauro Menezes & Advogados - Assessoria de Imprensa ∙ 27 de março de 2017

A operação Carne Fraca realizada pela Polícia Federal contra os maiores frigoríficos do país, investigados por venda de carne estragada e envolvidos em um esquema de propinas para a liberação de produtos impróprios para o consumo, colocou em xeque a relação dessas empresas com seus consumidores.

Entre os principais problemas constatados na investigação estão o uso de produtos químicos na manipulação das carnes e produtos fora da validade, além da inserção de papelão em meio aos alimentos processados. O caso envolve grandes empresas, como a BRF e a JBS e frigoríficos menores, como o Peccin, do Paraná.

A comercialização de produtos alimentícios impróprios para o consumo coloca a vida e a saúde dos consumidores em risco e gera danos que devem ser indenizados. “Esse consumidor pode pedir diretamente ao comerciante que vendeu o produto a reposição por um outro lote que não tenha defeito ou então o ressarcimento do valor gasto”, afirma o advogado João Gabriel Lopes, coordenador da Unidade de São Paulo do Roberto Caldas, Mauro Menezes & Advogados.

O advogado foi entrevistado pelo Jornal da Cultura, da TV Cultura, no dia 20 de março, para falar sobre o assunto. Assista à reportagem na íntegra: https://goo.gl/SBi9kO

Consumidor pode entrar na Justiça e denunciar empresas por carne estragada ou fora da validade

Consumidor pode entrar na Justiça e denunciar empresas por carne estragada ou fora da validade