Justiça do Trabalho da Bahia condena a CALORISOL pela morte de trabalhadora por mesotelioma – o câncer do amianto

Por Mauro Menezes & Advogados - Assessoria de Imprensa ∙ 28 de março de 2019

A 1ª Vara do Trabalho de Simões Filho-BA reconheceu que a Indústria de Isolantes Térmicos Calorisol Ltda. foi responsável pelo adoecimento e pela morte de trabalhadora exposta ao amianto. A trabalhadora prestou serviços à empresa entre os anos de 1974 e 1976, serrando calhas e placas isolantes que continham o material cancerígeno.

Em 2014, foi diagnosticada com mesotelioma, modalidade de câncer agressiva, relacionada à exposição ambiental ao amianto. A trabalhadora veio a falecer em março de 2015, aos 58 e anos de idade, deixando o viúvo e quatro filhos. Os familiares, filiados à Associação Baiana de Expostos ao Amianto (ABEA), assessorada pelo escritório Mauro Menezes & Advogados, ajuizaram ação judicial pleiteando a reparação dos danos causados.

Em sua decisão, a juíza entendeu que “a reclamada não tomou todas as cautelas devidas a assegurar a saúde e a dignidade do trabalhador” e determinou a condenação da Calorisol ao pagamento de indenização no valor de R$ 374.500,00 pelos danos morais sofridos pela trabalhadora e mais R$ 626.166,67 pelos danos morais sofridos pelos familiares.