Vitória A&R: Indústria de componentes automotivos é condenada a indenizar viúva de empregado vítima do amianto

Por Mauro Menezes & Advogados - Assessoria de Imprensa ∙ 11 de maio de 2016

A empresa Branil Juntas Indústria e Comércio Ltda. foi condenada pela juíza da 79ª Vara do Trabalho de São Paulo a indenizar viúva de trabalhador que faleceu em 2014, em virtude de complicações decorrentes de asbestose, doença relacionada à exposição ao amianto. O trabalhador laborou entre 1969 e 1991 como montador na indústria de peças automotivas e, nesse período, foi exposto a fibras de amianto dispersas no ar.

Em sua decisão, a magistrada Anna Karenina Mendes Góes constatou que ficou evidenciada a exposição prolongada ao amianto, bem como a relação entre essa exposição e a doença adquirida. Com isso, fixou indenização no montante de R$ 200.000,00 a título de danos morais e outros R$ 100.000,00 a título de danos materiais, a serem pagos à viúva do trabalhador.

A sentença destacou que “nesse caso, os danos decorrem da dor, angústia e sofrimento decorrentes da doença morte do ‘de cujus’ e sofridos pela viúva”. O processo é acompanhado pela unidade São Paulo do escritório Alino & Roberto e Advogados.

Iniciar conversa
1
Entre em contato
Olá! Seja bem-vinda(o) ao nosso canal de comunicação por WhatsApp. Envie sua solicitação e em breve lhe responderemos.
Powered by